Honra a quem tem honra – Parte III

Amigos

Como parte  deste meu devaneio sobre o que revivi na LLN em meu retorno, vou tentar explicar o porque do título do texto.

Eu como sou temente a DEUS, estava lendo a Bíblia e vi em Provérbios II, Versículo 3, onde esta escrito “É uma HONRA dar fim a contendas, mas todos os insensatos envolvem-se nelas” e isto me levou a vontade de escrever o que fiz até agora.

Porém eu gostaria muito de dar HONRA aos senhores Emerson (Bob Junior) e Antonio Aquino (Michel Serdan), porém estas pessoas eu não conheço o suficiente e nem o íntimo do coração de cada um, então prefiro dar HONRAS a duas mulheres, que conhecem o íntimo destes homens e que sem o apoio incondicional delas, talvez os mesmos não chegassem ao patamar que hoje vivem. Dona Aida Serdan e Dona Cintia, mulheres que com certeza viveram e vivem, as melhores e piores situações ao lado destes homens e com o mesmo amor, ou talvez maior pela LLN, pois se não são lutadoras no ringue são muito mais fora dele, mulheres guerreiras, sempre em defesa dos seus ídolos, maridos, e das coisas que construíram, e ainda constroem neste mundo da Luta Livre.

Mas para ser justo, devo dar HONRA aos personagens por estes homens criados, Bob Junior e Michel Serdan, pelo fato de terem coisas em comum como o amor pela LLN, a busca do sustento da família, e de muitas famílias, através da Luta Livre. Hoje em dia uma pequena diferença entre eles, um ainda na busca de um patamar ideal para se manter por esta atividade, outro hoje apenas faz porque gosta, porque ama a LLN, já atingiu com o tempo este patamar. A razão principal é que um teve sua melhor época com a TV, em quase rede nacional, e o outro ainda está na busca deste alcance.

A união destas forças poderia trazer a LLN novamente ao topo e ao sucesso, porém egos, radicalismos e fortes opiniões, características de cada um, impedem uma maior aproximação destas duas forças. E o que mais vi neste meu retorno a LLN foram egos, radicalismos, falta de bom senso, falta de honra, narcisismos, falta de boa conduta e por aí vai, não que na minha época estas coisas não existissem, claro que sim, mas como tudo girava em torno de apenas uma força maior, Telecatch Montila (Rio x São Paulo) e Ringuedoze (Porto Alegre), que tinham o comando geral por ter a TV.

Outra coisa que vi e vivi neste retorno foram as pessoas que se diziam ou se dizem lutadores e também internautas, sem preparo algum para rebater criticas ou tecerem comentários sobre um determinado show ou personagem. Com minhas críticas, nem todas com razão, recebi até ameaças físicas, ofensas, palavras de baixo calão, mas o que me chamou a atenção foi que muitas vezes aqueles que REALMENTE eram o alvo das críticas, poucas vezes rebateram, mas quem respondia grosseiramente eram seus defensores, como se eles os criticados precisassem de advogados em suas defesas. Casos que aconteceram com Ninja, onde sempre foi defendido ao invés de se defender. Bob Junior nunca tive por parte dele qualquer defesa, mas sempre outras pessoas. No caso do Michel, este foi duro mesmo, além de se defender, ofendeu, malhou, criticou, mas porque eu de VERDADE não me sentia ofendido? Porque vi nas criticas e ofensas sua alto defesa, embora muitas críticas a  mim não vinham de outras críticas feitas por mim. Torno a dizer que cada um teve suas razões. Mais recente o promissor atleta Pit Bull, só faltou vir ao Sul me “bater”, pois o que tinha de ruim pra me ofender ele usou…kkkk, e veja que foi só porque falei que no telecatch não existe Campeão Nacional, Sulamericano, Regional e seja o que mais for, pois quem faz o campeão é o empresário, e quem ele achar que deve se destacar para o bem da empresa e do show.

Querem exemplos? Xandão, na BWF, por seu carisma, talento e perseverança foi visto pelo Bob Junior como de grande potencial para ser um destaque na BWF e foi transformado em campeão, até que o Bob viu que deveria destacar mais um deste porte e então surge no caminho do Xandão o grande Nocaute Jack. Pronto, resolvido. Um grandão perde o título para um grandão e todos ficaram satisfeitos.

Outro exemplo? Pit Bull, no GDR. Michel viu o potencial de atleta e resolveu dar a ele o seu próprio título, conquistado por vários anos.

Outros exemplos mais antigos. Quem foi “O Carrasco Português” Belo? Quem foi Aguiles “O Matador”? Claro que todos tiveram o talento também, mas só foram figuras de destaque porque assim achou Michel Serdan que eles poderiam ser. Também o caso de Ted Boy Marino, só foi o que foi, graças a seu empresário Teti Alfonso, um gênio, que soube aproveitar o talento dele dentro do show para alavancar sua carreira.

Bem este foi o lado bom que eu vivi até agora, mais tarde mostro a vocês todos o lado ruim da LLN. Até mais tarde.

2 Respostas para Honra a quem tem honra – Parte III

  1. Flávio Pacheco disse:

    O Lado ruim não irei ler, infelizmente toda vez que leio ou posso observar este ‘lado ruim’ da LL eu passo algum tempo sem acompanhar e buscar informações na internet. É a forma, até instintiva, que tenho de repudiar certas atitudes.

    No mais, acho bacana esta postura até utópica que o Stiner assume em propor a união de forças das duas principais empresas do país.

    Forte Abraço!

  2. Cigano Stiner disse:

    Amigo Flávio
    Acredito que vc podera ler sim, a parte final, pois não coloquei totalmente “o lado ruim” da LLN…kkkk, até porque não caberia em um só texto, teria de fazer 5 partes.
    Muito obrigado, mais uma vez, por seu carinho e compreenção dos textos que escrevo.
    Fique com Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *